AMOR EROS - A SEXUALIDADE E O RELACIONAMENTO AMOROSO - VÍDEO 06 DA SÉRIE OS 07 NÍVEIS DE AMOR


Com relação a essa fase da vida podemos dizer que tem a ver com a entrada da sexualidade na vida da pessoa. É o nível do relacionamento amoroso. É o momento da vida que gera um desligamento progressivo da família de origem composta por pai, mãe e irmãos e uma aproximação maior com uma pessoa de fora da família, permitindo assim que uma energia muito amorosa e especial comece a pulsar por alguém. E a sexualidade faz com que haja um vínculo especial com essa pessoa que sai do plano da amizade e ganha um nível de intimidade mais profundo.


Quando a criança se torna adulta, por volta dos 18 anos, ela precisa sair da família de origem para nascer para vida, e nesse momento ela precisa seccionar o vínculo extremamente forte com a família de origem para que ela possa dar seguimento à família. A sexualidade é uma das grandes responsáveis por cortar esse cordão umbilical, por seccionar esse vínculo, essa passagem digamos assim do mundo infantil para o mundo adulto.


Nessa fase, a família de origem não tem que ficar perto. É hora do filho seguir a vida longe da família de origem, porque adulto não precisa de pai e mãe perto, precisa de pai e mãe dentro ❤️, quem precisa de pai e mãe perto é criança.


Enquanto criança olhamos para a família, para o passado, para os pais, o que é certíssimo, afinal, estamos aprendendo com eles a como cuidar de nós mesmos, a como ser homem, como ser mulher, o que é a vida, como nos comportarmos, como agir.. mas para nos tornarmos adultos, precisamos virar e deixar eles lá atrás nesse passado e olhar pra frente onde está o futuro, e é nesse futuro que existe sexualidade, relacionamento amoroso, autonomia financeira, filhos, sucesso profissional, profissão, dinheiro e projetos de vida. Somente desta forma é possível criar vínculo com uma pessoa de fora da família.


E aquela relação entre o que eu ofereço com o que eu recebo que venho falando em todos os níveis, na relação de casal o dar e receber é equilibrado, equivalente, 50% responsabilidade de cada um.


O casal é composto por duas pessoas, dois adultos diferentes, em que cada um deve caminhar com as suas próprias pernas, ter a sua individualidade, a sua autonomia financeira, os seus projetos pessoais, mas que enquanto casal também terão a área de relacionamento onde irão interagir e também ter projetos em comum.


Cada um precisa levar para essa relação dinâmicas de amor e de situações que irão abastecer essa relação. Se a relação é saudável, eu a enriqueço e também me abasteço dela. Não pode existir dependência emocional e não pode existir o cuidado um com o outro. Quem precisa de cuidado é criança, então se você tem uma relação onde um cuida do outro, então seu casamento é composto de um adulto e uma criança (normalmente mãe e filho ou pai e filha), mas não de dois adultos. Relacionamento saudável é aquele que ambos cuidam da relação, do relacionamento e não um do outro.


Aqui também não cabe aquela frase “Meu cônjuge, meu melhor amigo”, porque se essa pessoa é seu melhor amigo, quer dizer que você parou lá na fase anterior, o philia, que é a área das amizades. O amor eros é outra fase, as interações que regem uma amizade são diferentes das interações que regem um relacionamento amoroso, tanto é que você não tem intimidade sexual com amigos, pelo menos não deveria ter. A questão aqui, não é que você está tendo um amigo e um cônjuge, na verdade você está por algum motivo impedida no fluir natural da vida, tem algo que provavelmente está te impedindo de avançar e de estar inteira para essa fase da vida.


Para conseguir ter um bom relacionamento de casal, é importante ter passado de forma adequada pelos outros níveis de amor, porque ali a criança vai se preenchendo, abastecendo de tudo que precisa para ir avançando nos níveis até chegar nessa fase de conseguir ter um relacionamento amoroso saudável e equilibrado. Quando ela não passa de forma correta por estes níveis, ela vira mais uma daquelas pessoas que quando você pergunta PARA QUE vc casou? ela simplesmente fala.. ah para ter um companheiro, alguém pra estar junto, pra eu ter segurança… Isso não é casamento! Casamento é parceria e não cabe na parceria equilibrada alguém que busca por exemplo segurança, que é problema lá da relação dela com a mamãe até o seu 1 ano de vida. Quem busca segurança, busca a mamãe e não um cônjuge.


Quando o amor do casal está forte e nessa interação dos dois, o amor só vai crescendo que não cabe mais neles, ai ele ganha força e se multiplica. Do excesso de amor vem os filhos. Pelo menos é o que deveria ser, mas infelizmente vemos muitos filhos que não chegaram ao mundo através do excesso de amor e sim da falta, das carências, do vazio, do medo dos pais ou de um deles de ficar sozinho na velhice e tantas outras situações…ai quando nascem viram a razão de viver dos pais, a razão da felicidade, a razão dos sorrisos...


Para casar e dar continuidade a onda da família, eu construo uma nova família, assim o amor da família de origem vai continuar, se materializar e existir.. ou seja, por mais que aconteçam mortes físicas das gerações anteriores, o amor da família continua por meio dos descendentes.


Perceberam como a sexualidade tem uma função importantíssima nessa fase da vida? Aqui, ela tem várias funções, mas a principal delas é seccionar, cortar o vínculo infantil com a família de origem e criar um vínculo ainda mais forte com uma pessoa diferente da família de origem, para que esteja realmente pronto para avançar para o nível seguinte e montar de forma mais saudável uma família diferente da família de onde veio.


Sexualidade tem relação com criar vínculo, é uma energia sagrada e divina. Portanto, não confunda com ter relações sexuais só por ter, só por prazer, sem ter nenhum outro vínculo além do da carne porque isso não é sexualidade, isso é genitalidade e não é disso que estamos falando aqui. Inclusive, pessoas que buscam única e exclusivamente o prazer físico, ela está presa lá no amor pornéia, tem problemas lá nessa fase da vida, está preso no amor de bebezinho pela mamãe, não evoluiu na escala do amor!


O vínculo com a família de origem nunca vai deixar de existir, mas a prioridade precisa mudar completamente, porque enquanto a pessoa fica presa, preocupada, envolvida nas dinâmicas da família de origem, ela continua conectada com o passado e com isso ela não olha em direção a sua própria vida e para nada que só existe no futuro e no mundo adulto como relacionamentos amorosos, filhos, profissão, sucesso profissional, projetos pessoais, prosperidade financeira e etc.


Adultos que não conseguem ficar longe dos pais, que precisa dos pais por perto, na verdade é uma criança em corpo de adulto, e isso quer dizer que essa pessoa ainda tem vínculos tão profundos com a família de origem que ela não consegue se desconectar desse passado e ficar disponível para criar vínculos com alguém de fora da família.


E se ela não consegue criar vínculos com alguém fora da família, por mais que ela tente, que ela fala que quer sim, ela sempre vai atrair situações para boicotar essa oportunidade e voltar correndo para o que envolve a família de origem.. aqui encontramos por exemplo, aquele grupo de pessoas que diz.. ah, relacionamento nenhum meu dá certo.. ah, eu só atraio pessoas comprometidas, só atraio pessoas que não querem nada sério.. só tenho relações conflituosas, difíceis..eu tento sabe, mas meus relacionamentos sempre que tem por volta de x tempo acontece alguma coisa e acaba… minha vida amorosa é um caos e assim vai..


E o interessante é que quando você conversa com pessoas que passam por essas situações, elas sempre falam a mesma coisa.. Claro que quero ter um relacionamento sério, que quero uma pessoa que já não seja comprometida, quero ter minha família, minha relação, quero seguir minha vida, ter um bom relacionamento… pois é, só que só falar que quer não é o suficiente… Se você, mesmo que de forma inconsciente estiver conectado aos dramas, dores, problemas, emaranhados da família de origem, você continuará disponível para viver a vida deles e indisponível para escrever a sua própria história e viver o seu próprio destino…


Lembre-se, temos dois olhos que SEMPRE IRÃO OLHAR para uma única direção.. ou você olha para trás onde está a família de origem ou você olha para frente onde está sua família atual, cônjuge e filhos, profissão, dinheiro e tudo mais.. não tem como olhar para os 2 lugares ao mesmo tempo. Se você tem algo que ainda te conecta, te prende com a família de origem, você sempre tenderá a voltar pra eles, mesmo que para isso você tenha que não priorizar a felicidade e saúde dos seus filhos, do seu cônjuge e o seu futuro, sucesso profissional e prosperidade… forte né?!


A forma de viver dos meus pais, não cabe na atual fase de vida que estou agora. Assim como a forma de viver dos meus filhos, também não caberão na forma que eu olho para vida. A cada geração, os novos elementos, com a grande força do amor, vão se adaptando ao meio e continuando na vida. Isso é preservação da espécie. Lembre-se: Autopreservação e preservação da espécie.


Claro que nada disso é fácil.. claro, que todos nós temos muitas questões a serem trabalhadas, resolvidas, curadas em nós mesmos e no nosso sistema.. claro que muitos de nós, pra não falar todos nós, estamos ainda muito ligados a referenciais e modelos doentios que aprendemos e recebemos dos nossos pais, que aprenderam e receberam dos pais deles e assim vai.. mas, é importante entendermos que agora, como adultos nós podemos fazer diferente, nós podemos ser um pouquinho mais saudáveis e devemos contribuir para que as gerações futuras também sejam mais saudáveis.


Por isso, não tenha medo de procurar ajuda se preciso for, olhe para suas questões internas, suas dores, seus traumas, para as questões da sua vida que não estão fluindo, que estão embaraçosas, queira de verdade fazer algo bom pra você e para os seus filhos e gerações futuras, queira levar uma vida mais saudável para seus filhos, pare de ficar repetindo a história de fracasso, de insucesso, de sofrimento que talvez tenha acontecido com seus familiares. Pergunte para você mesmo, o que eu tenho feito por mim? O que eu tenho feito para curar minhas feridas, meus traumas, o que eu tenho feito para ir na causa, na raiz destes problemas e o que eu tenho feito para resolvê-los! Aproveite e se pergunte também: Será que eu quero mesmo me curar e ser feliz?


Hoje, as constelações familiares conseguem ajudar muito nestes processos de identificar a causa, a origem de um determinado problema e de mostrar qual é a solução, o que você tem que fazer, pensar, sentir de diferente para que aquela situação seja resolvida, ela também consegue mostrar se você tem conseguido avançar nas fases da vida e até mesmo a mostrar o que te prende, o que te impede hoje de estar feliz, de estar saudável, de ter um relacionamento bom, de ter uma vida equilibrada, de ter prosperidade e de estar bem na área profissional, de estar bem com suas emoções.


Portando, se sentir no seu coração o chamado, venha fazer uma constelação.. vem fazer terapia, ou faça qualquer outra coisa que você tenha afinidade, mas faça algo por você.


Se quiser saber mais sobre como a constelação familiar ou até mesmo as sessões de terapia podem lhe ajudar, é só me chamar no whatsapp ou através dos outros meios de comunicação que estão disponíveis aqui na descrição.


Série completa dos 7 níveis de amor: https://www.youtube.com/watch?v=ik51T9wMn2o&list=PLWPOYNVd-ttHSZHG8ypV0JMnG3Y_PZ4nZ


Com carinho,

Leidiane Mendes


💡 Assista o vídeo, aproveite para se inscrever no meu canal do youtube e ativar o sininho para ser notificado sempre que um novo vídeo for disponibilizado!


✅ Atendimento ONLINE para todo Brasil e PRESENCIAL em Florianópolis-SC e Uberlândia-MG.


Conheça o meu trabalho e saiba como ele pode lhe ajudar!


💟 Site: https://www.casapaz.com.br

💟 Instagram: https://www.instagram.com/casapaztera...

💟 Facebook: https://www.facebook.com/casapazterapias

💟 Youtube: https://youtube.com/casapazterapias

📱 Contato: (48) 99809-0732 - Também Whatsapp.

Florianópolis-SC

R. Mário Giocondo Crocetta, 568 - Casa 01

Ingleses

Uberlândia-MG

R. Joaquim Carlos Fonseca, 606 

Santa Mônica 

 (48) 99809-0732

  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook

Atendimento Online e Presencial